Quem nunca leu aquela notícia clássica que diz “beber uma taça de vinho por dia faz bem para saúde”? Essa frase não está exatamente errada. Mas hoje vou falar sobre a pesquisa que apontou que uma taça de vinho por dia aumenta as chances de câncer de mama.

Muitas pesquisas apontam que a ingestão do álcool pode reduzir riscos de doenças cardíacas.

A euforia que o álcool produz pode ser muito saudável para as emoções também. Mas alerto que infelizmente, para o câncer de mama, não é exatamente benéfico.

Os perigos do álcool

O álcool é comprovadamente cancerígeno pois ele pode danificar o DNA. Estas modificações permitem que aumente a quantidade de estrogênio que circula no corpo, o que aumenta o risco de desenvolver câncer.

Além disso, ele cria um ambiente propício ao desenvolvimento das células cancerosas.

A pesquisa

De acordo com pesquisa do Instituto Americano do Câncer, beber uma quantidade pequena de bebida alcoólica todos os dias pode aumentar o risco de câncer de mama.
Foi detectado que a ingestão de 10 gramas de álcool por dia (isso equivale a uma pequena taça de vinho ou cerveja) aumenta o risco de câncer de mama em 5% em mulheres que estão na fase pré-menopausa. E a porcentagem aumenta pra 9% nas mulheres que já passaram pela menopausa.
A consciência de que uma pequena quantidade de álcool aumenta o risco de câncer de mama é “surpreendente”, diz a autora do estudo, McTiernan. Ela defende que seu estudo não busca desencorajar as mulheres a realizar o prazer de beber, mas sim para lembra-las de evitar os excessos.

O que realmente pode ser feito para prevenir o câncer de mama

Felizmente existem outros prazeres que podem ajudar a diminuir o risco do câncer de mama.
Também foi descoberto que uma rotina de exercícios mais vigorosa pode reduzir o risco de câncer de mama.

A prática de atividade intensa pode reduzir o risco em 17% em mulheres que ainda não passaram pela menopausa, e em 10% em mulheres onde a menopausa já ocorreu.

De acordo com as pesquisadoras, a prática dos exercícios físicos intensos ajuda as mulheres a manter um peso saudável, afastando a obesidade.
Vale lembrar que a obesidade aumenta o risco não apenas do câncer de mama, mas de todos os tipos de câncer.

O tipo de exercício

Vale lembrar também que foi detectado que os exercícios físicos vigorosos têm o poder de ajudar a diminuir o risco, portanto precisam ser exercícios de grau elevado, intensos, porém podem ser de curta duração.
Para identificar se o que você está praticando está incluso nesse conceito, faça o teste da conversa. Se você consegue conversar com alguém enquanto pratica sua rotina de exercícios,
quer dizer que eles não são intensos o suficiente!

Não existe garantia

Sendo este o tipo de câncer mais comum entre as mulheres, as pesquisas envolvendo álcool e câncer de mama continuam e espera-se que mais informações sejam descobertas em breve.
As pesquisas servem para informar, ajudar, mostrar caminhos possíveis. As autoras salientam que cortar o consumo de álcool e praticar mais exercícios pode ajudar a diminuir os riscos, sim. Mas infelizmente não existe exatamente uma garantia que isso irá proteger 100% contra o
câncer de mama.
O que existe é a consciência do cuidado.  Assim como se usa o cinto de segurança, que pode salvar sua vida no caso de um acidente, também é recomendada cautela na ingestão de álcool.

Controlar a ingestão alcoólica e priorizar a atividade física podem ser vistas como estratégias

Para melhorar a qualidade de vida, aumentando as chances de conseguir afastar os riscos de câncer de mama. Mas isto não quer dizer que ele não possa acontecer.

Bender e McTiernan advertiram que reduzir a bebida ou aumentar o seu regime de exercícios não são seguros – formas de fogo para evitar o câncer de mama.
“Não é uma garantia”, disse McTiernan. “Eu penso nisso como um cinto de segurança. Não é uma garantia de que você será salvo de uma lesão em um acidente de carro, mas usar um cinto de segurança reduz seu risco”.
Nos Estados Unidos, o câncer de mama é o câncer mais comum em mulheres, de acordo com os Centros de Doenças e Controle. Os pesquisadores ainda estão tentando identificar como o álcool influencia o risco de câncer de mama, e algumas pesquisas sugerem que ele aumenta o hormônio estrogênio.
Mas apesar do pequeno risco de câncer de mama, estudos também descobriram que pequenas quantidades de álcool a cada dia podem reduzir o risco de doença cardíaca.

Até a próxima,

Dra Alessandra Morelle