Quais vacinas não podem ser tomadas pelo paciente de câncer?

tipos de vacinas não recomendadas para pacientes com câncer

As vacinas são tratamentos conhecidos e muito populares no campo da saúde. Porém, no caso do câncer, sabemos que o organismo é enfraquecido e as possibilidades de novas doenças e complicações na saúde são, infelizmente, grandes. 

Existe um tratamento chamado Imunoterapia, que auxilia para o aumento da imunidade no corpo. Já falei sobre isso neste texto: Tratamento de câncer: o que é imunoterapia?

É normal e importante pensar com cautela a respeito de vacinas durante o tratamento de câncer, visto que normalmente a imunidade do paciente fica muito baixa, expondo o corpo e a saúde.

Trazemos aqui pontos importantes para averiguar antes de tomar alguma vacina e elucidar de maneira tranquila quais vacinas podem ou não ser tomadas.

Vacinas Atenuadas

Vacinas atenuadas são aquelas para sarampo, caxumba, rubéola, varicela, febre amarela, herpes zoster, poliomielite oral (Sabin), rotavírus e BCG.

Esse tipo de vacina traz em sua composição os agentes da doença, tendo como objetivo inseri-los no corpo para que o próprio sistema imunológico responda, “turbinando” suas capacidades para o combate dos corpos estranhos.

Os pacientes com câncer não devem tomar esse tipo de vacina, por conta da baixa imunidade causada pela doença.

A fraqueza do corpo pode implicar no desenvolvimento da doença contida na vacina, ao invés de fortalecer o sistema imunológico. Para não correr este risco, é melhor não utilizar estas vacinas.

Vacinas Inativas

Essa parcela de vacinas, por outro lado, têm em sua composição microorganismos mortos, toxinas de microorganismos ou proteínas.

São as vacinas para Hepatites A e B, HPV, alguns tipos de Influenza, Pneumonia, Pneumococo, Meningococo, Poliomielite, Tétano e Difteria.

Este tipo de vacina se dá pela morte ou inativação dos vírus e bactérias. Para os pacientes de câncer é um ponto positivo, pois se tornam incapazes de provocar uma reação que possa afetar o corpo humano, como nas vacinas atenuadas.

Possuindo efeitos imunológicos com intensidade baixa, esse tipo de vacina necessita de um ciclo de aplicações de maior freqüência.

Quimioterapia

Quem está fazendo quimioterapia não deve aplicar vacinas. A rápida baixa na imunidade que o tratamento ocasiona pode deixar o corpo suscetível a infecções por microorganismos que estão em nosso corpo, impossibilitando boas respostas da memória imunológica.

Ou seja, há risco de desenvolvimento de doenças e também risco da vacina não provocar nenhuma resposta.

Aos parentes dos pacientes

É interessante que os parentes mais próximos dos pacientes estejam com suas carteirinhas de vacinação em dia.

O oncologista Fernando Maluf, em entrevista ao Estadão, conta que a imunização e vacinação das pessoas próximas do paciente de câncer são importantes, visto que diminui a chance da doença acontecer ao paciente.

Porém, o médico alerta para as vacinas atenuadas feitas pelos parentes próximos dos pacientes em quimioterapia: segundo ele, as pessoas que receberam vacinas com microorganismos atenuados podem transmitir o agente da doença para outras pessoas.

Por isso, devem evitar certo contato com a pessoa em tratamento de quimioterapia, para a prevenção de riscos de transmissão de doenças que podem acontecer.

Saúde é prevenção, informação e cuidados.

Espero ter tirado algumas dúvidas a respeito das vacinas, mas não deixe de levar seus questionamentos ao seu médico. Até a próxima!

Drª Alessandra Morelle

Fechar Menu