19Se você não sabe como se adaptar às mudanças trazidas pelo câncer, fique comigo nesse texto!

Nosso cotidiano é permeado por afazeres que servem a propósitos nossos ou a objetivos comuns de nossas famílias e nossos grupos sociais. Por isso, a descoberta do câncer traz mudanças a essa rotina. Além de vivenciar os papéis sociais que você já tem, sua saúde precisa de uma atenção em dose extra.

Provavelmente, o tratamento vai influenciar a maneira como você vive e como enxerga o mundo. A doença demanda mudanças que mexem bastante com os nossos sentimentos, como deixar de trabalhar ou até praticar algum esporte.

Manter a tranquilidade durante esse processo, com total aceitação, é a melhor saída. Hoje, vamos conversar um pouco sobre diferentes aspectos de como se adaptar às mudanças trazidas pelo câncer.

Mudanças para o paciente e a família

O tratamento impacta em primeiro lugar o paciente. Em segundo plano, a família e os amigos próximos também precisam passar pelo processo de adaptação. A solidariedade com uma pessoa que acabou de descobrir que tem câncer é fundamental, assim como estar presente auxiliando naquilo que for possível.

Quando a pessoa deixa de trabalhar por motivo de saúde, as mudanças afetam as finanças, a vida social e pessoal. Essas alterações mexem com o cotidiano. Durante nossas vidas, exercemos o papel profissional, mas também:

  • Maternidade ou paternidade;
  • Conjugal;
  • Provedor do lar;
  • Dono ou dona de casa, administrando o lar;
  • Amigo ou amiga;
  • Meios sociais, clubes, associações, etc.

Esse cotidiano envolve idas e vindas a bancos, mercado, escola, posto de gasolina, entre outras trivialidades. Quando qualquer imprevisto, tal qual o descobrimento de um câncer, aparece, é importante redefinir os papéis a fim de priorizar o tratamento.

Conversar com a sua família e com os seus amigos sobre como se adaptar às mudanças trazidas pelo câncer é fundamental para evitar estresse e até rompimentos.

Dicas para o novo cotidiano

Lembre-se que o diálogo é a base de tudo. Em primeiro lugar, converse com a sua família. Caso esteja em um relacionamento, converse com o cônjuge sobre as mudanças na vida sexual, casamento, filhos, dinheiro, entre outras decisões que cabem apenas ao casal.

Aos poucos, estenda a conversa para outros membros da família sobre mudanças e novas funções. Infelizmente, nem sempre todos que você considera como amigos farão jus a esse momento delicado. Mas, tenha a certeza que os verdadeiros estarão ao seu lado e vão se dispor a ajudar naquilo que for preciso.

Nunca tenha vergonha de pedir ajuda para essas pessoas com quem você sabe que pode contar. Seja para pagar uma conta, fazer supermercado, buscar um filho na escola ou até com as demandas da casa (limpeza e culinária), saiba sinalizar a sua necessidade e aceitar a ajuda disponível.

Caso sinta dificuldades em se integrar em uma nova rotina, não hesite em procurar ajuda psicológica. Um profissional de psicologia vai te fazer entender melhor os seus sentimentos e sobre como expor para as pessoas ao seu redor.

Falar em um ambiente reservado sobre as questões que te afligem, seja o sentimento de impotência ou insegurança, dá alívio ao coração.

Espero ter ajudado você a entender como se adaptar às mudanças trazidas pelo câncer.

Dra Alessandra Morelle