causas e prognostico do câncer de pulmão

Causas e Prognóstico do Câncer de Pulmão

No início do século 21 o câncer de pulmão já era considerado uma das principais causas de mortes evitáveis do mundo.

 

causas e prognostico do câncer de pulmão

Segundo os últimos dados do INCA (Instituto Nacional de Câncer), a estimativa era de mais de 28 mil novos casos diagnosticados da doença para 2016.

Estima-se que menos de 20% dos casos sejam identificados em fases iniciais, o que pode comprometer muito o sucesso de um eventual tratamento. Em vista dos números, hoje trago informações de extrema importância.

O câncer de pulmão é um dos raros tipos de doenças que podem ser quase que totalmente evitadas pelas escolhas conscientes. Continue lendo para conhecer mais sobre as causas e prognóstico do câncer de pulmão.

 

Sintomas

Geralmente os sinais de um câncer de pulmão apenas se manifestam quando a doença já atingiu uma fase mais avançada.

A grande maioria dos casos é diagnosticada tardiamente.

Enquanto não existem sintomas específicos de um tumor pulmonar – em vista de que muitos deles se confundem com os sintomas de outras doenças respiratórias como o enfisema pulmonar, bronquite e pneumonia – as manifestações mais comuns incluem:

  • Dor no peito
  • Chiado
  • Tosse
  • Falta de ar
  • Diminuição do apetite e perda rápida de peso
  • Presença de sangue no catarro

O alerta fica principalmente para os fumantes: tanto homens quanto mulheres. Se observarem qualquer um destes sintomas, é recomendado que se busque orientação médica o quanto antes.

Tabagismo

O tabagismo é a causa mais conhecida para o aparecimento de um câncer de pulmão.

Cerca de 90% dos pacientes com câncer de pulmão fumam ou já fumaram durante a vida.

Na verdade, quem possui o hábito de fumar tem 40 vezes mais chances de desenvolver a doença quando comparado a uma pessoa não fumante. Na fumaça do cigarro estão presentes mais de 5 mil substâncias químicas: cerca de 50 são cancerígenas.

Existem ainda alguns fatores relacionados ao fumo que podem colaborar para um carcinoma pulmonar: a idade em que se começou a fumar, a idade da pessoa e a quantidade de cigarros consumida diariamente, por exemplo.

Os fumantes passivos, que não possuem propriamente o hábito de fumar mas que convivem expostos a fumantes em ambientes fechados (como em casa ou no trabalho) também fazem parte deste grupo.

Aqueles que fumam porém dizem “não inalar”, ou seja, que apenas seguram a fumaça na boca e não a aspiram para os pulmões, continuam se colocando em perigo.

Além da prática não evitar o contato com as substâncias cancerígenas que resultam em um câncer de pulmão, esses indivíduos correm ainda o risco aumentado de desenvolver câncer da boca ou garganta. 

Vale lembrar que todas as categorias de cigarros são igualmente maléficas para a saúde: cigarros “light”, cachimbo, charuto e cigarros de palha também são considerados fatores de risco.

A informação e a saúde estão disponíveis para todos, mas cada um sabe a importância que isso tem para si. Não podemos negar, porém, o peso que nossas escolhas representam para a saúde.

Quando falamos de câncer, outros hábitos além do tabagismo também estão fortemente ligados ao seu desenvolvimento. Clique para ler sobre a nota inédita da Sociedade Americana de Oncologia Clínica sobre o consumo de álcool. 

 

Outras causas

Além do tabagismo, destaco alguns outros fatores que colaboram para o desenvolvimento da doença:

  • Agentes químicos – a exposição por parte de algumas profissões específicas ou funções a certas substâncias cancerígenas como o arsênico, amianto, berílio, cromo, níquel, cádmio, asbesto e radônio.
  • Genética – histórico de câncer pulmonar na família.
  • Doenças pulmonares – enfisema pulmonar (ou bronquite crônica) e tuberculose podem aumentar as chances de uma pessoa desenvolver um tumor.

Cito ainda a alimentação. Como diversas doenças, a alimentação seguida por cada pessoa pode ser determinante no aparecimento de doenças, inclusive de muitos tipos de câncer.

Dietas desequilibradas, pobres em frutas e verduras são apontadas como causas que podem agravar a possibilidade de um carcinoma pulmonar.

Manter a dieta baseada em produtos naturais e orgânicos é um dos melhores modos de garantir qualidade de vida, prevenir doenças e consequentemente viver mais. Leia sobre os componentes naturais que agem no combate ao câncer neste post.

 

Prognóstico do câncer de pulmão

O prognóstico de um paciente com câncer é discutido como forma padrão pelos médicos através da taxa de sobrevida.

Esta taxa de 5 anos é feita com base na porcentagem dos pacientes que vivem por pelo menos 5 anos após o diagnóstico inicial do câncer. Se trata de uma média, pois muitos pacientes chegam a viver por muito mais tempo, e muitos são curados, inclusive.

Você sabe que fatores indicam que um câncer foi curado e que o paciente pode ter alta oncológica? Não deixe de ler este artigo onde falo sobre o assunto. 

Em geral, a taxa de sobrevida para pacientes com câncer de pulmão típico variam de 85% a 90%, enquanto a taxa de sobrevida para os pacientes com câncer de pulmão atípico vão de 50% a 70%.

Os avanços e melhorias nos tratamentos, felizmente, têm resultado em prognósticos cada vez mais favoráveis para pacientes que estão sendo diagnosticados e tratados atualmente. 

Apesar de servir como guia, as taxas de sobrevida são baseadas em resultados anteriores de um grande número de pessoas que desenvolveram o câncer de pulmão.

Uma única certeza

É muito delicado e incerto tentar prever o que acontecerá com o paciente apenas baseando-se na taxa de sobrevida.

O prognóstico é individual e pode variar de acordo com uma série de outros fatores: a idade, como a doença está respondendo ao tratamento e o estado geral de saúde do paciente.

Cada pessoa é única, assim como seu organismo e sua resposta ao tratamento e doenças. Somente o médico responsável pelo caso poderá fornecer um prognóstico correto.

O que se pode afirmar, entretanto, é que o câncer de pulmão não precisa ser uma ameaça para você. A prevenção é possível: mantenha hábitos saudáveis, reflita sobre suas ações.

Uma vida de equilíbrio é uma vida de saúde.

 

Dra. Alessandra Morelle

 

Fonte: Oncoguia