• Post author:

Câncer e solidão, infelizmente, costumam estar relacionados. A pessoa pode até estar rodeada pelos seus entes queridos, mas a sensação é de que essa jornada em direção à cura é muito solitária.

Normalmente, após receber o diagnóstico, as pessoas de nosso convívio ou círculo de amizades comportam-se de formas diferentes. Algumas, ao saber, demonstram apoio com uma pitada de desconforto por não saber o que fazer. Outras, simplesmente se afastam.

Independente se você sente que as pessoas se afastaram ou estão mais próximas, faz parte dessa fase sentir que ninguém entende exatamente o que você está passando.

Os medos, angústias e dúvidas aprofundam ainda mais a relação entre câncer e solidão. O assunto pode ser pesado para quem nos cerca e, infelizmente, nem sempre eles conseguem nos dar o apoio que precisamos. Com certeza não são culpados por isso, afinal, a doença ainda é repleta de mitos e tabus.

É exatamente ao receber o diagnóstico e trilhar o caminho rumo à cura que o paciente mais precisa desse apoio. Ver as pessoas até então queridas afastando-se Então, como tornar esse processo mais leve e driblar a solidão?

Câncer e solidão: respeite-se

Você terá o seu próprio tempo ao longo do tratamento. Alguns pacientes comentam sobre a doença primeiro apenas entre os familiares mais próximos. Outros sequer querem comentar com a família. O importante é que você respeite o seu próprio tempo durante o período.

Quando se sentir confortável, conte à sua família sobre o tratamento. Aos poucos, conte aos amigos mais próximos. No trabalho, a notícia é inevitável, já que muitas vezes é preciso pedir afastamento em razão do tratamento, mas você pode optar por não tocar no assunto com detalhes.

Resumindo: se você sente uma necessidade de solidão durante esse período, resguarde-se. Se prefere compartilhar as suas angústias, procure uma pessoa de confiança. Caso não tenha com quem conversar, procure ajuda junto a um psicólogo – seu médico pode fazer a indicação de um bom profissional.

Veja também: Saúde e felicidade andam juntas?

Como o Tummi está ao seu lado

Iniciar o tratamento do câncer pode fazer que você se sinta deslocado de quem você é, da sua rotina e das suas preferências pessoais. Saiba que não passa de uma sensação do momento, pois a doença não se sobrepõe à sua personalidade.

O Tummi auxilia o paciente a organizar a sua rotina, trazendo os horários de medicamentos e datas de consultas para que você não esqueça de nenhum deles. Também existe um espaço destinado a fazer um diário do tratamento, onde você pode relatar os seus sentimentos, as dores e as principais dúvidas.

Se você ainda está no início do tratamento, saiba que as anotações diárias são de extrema importância. Com o passar dos dias, é comum esquecer dos desconfortos vivenciados, ou mesmo de dúvidas que surgem. É importante que você sempre peça esclarecimentos sobre a doença diretamente ao seu médico.

Todos os sintomas podem ser marcados em uma lista. O Tummi gera um relatório para você levar à sua consulta. Por falar em tirar dúvidas, você pode ler diretamente no aplicativo informações do blog da dra. Alessandra Morelle sobre a doença. Conta, ainda, com uma playlist do Spotify.

É claro que um aplicativo de celular não substitui a presença de pessoas queridas. Acreditamos que seja um apoio importante para quem tem câncer entender melhor a doença e encarar a jornada até a cura de forma mais leve.

Esperamos que você tenha entendido a relação entre câncer e solidão. O Tummi foi feito para te acompanhar durante o tratamento. Lembre-se que você não está sozinho!

O aplicativo para pacientes oncológicos Tummi já está disponível para Android e IOS. Abaixo, seguem os links: